19/08/2020 12:25:00 Praticamente sacramentando o negócio

Stone e Linx assinam acordos

[Solers]

Ontem (2020-08-18), a Stone e a Linx (B3: LINX3) assinaram um Acordo de Associação e um Compromisso de Voto e Assunção de Obrigações.

O Acordo de Associação indica os principais termos e condições para a incorporação de ações da Linx pela STNE Participações, seguida de resgate das novas ações da STNE emitidas em decorrência da incorporação de ações de Linx.

Atualmente, os acionistas da Linx possuem quase 14% do capital da empresa representado em ações. Eles não poderão enquanto o acordo estiver em vigor - até a consumação da operação -, "contratar ou realizar a alienação, disposição ou transferência, direta ou indiretamente, por qualquer meio ou forma, das suas Ações Vinculadas, ou quaisquer direitos relativos a essas Ações Vinculadas ('Transferência'), bem como a não constituir ônus ou gravames de qualquer natureza, judiciais ou extrajudiciais, sobre as Ações Vinculadas".

Outro parágrafo interessante destaca que o acionista da Linx que descumprir qualquer parte do acordo firmado terá de pagar multa de R$ 30 M à STNE.

Críticas de investidores
Segundo veículos de imprensa, a Linx teria, de fato, ocultado de seus acionistas a proposta da Totvs (B3: TOTS3) para a compra da Companhia, de forma que aceitassem a proposta da Stone, que, segundo investidores, é inferior à da Totvs.

A proposta teria sido levada por 3 dos fundadores da empresa - Nércio Fernandes (presidente do Conselho), Alberto Maneche (CEO) e o acionista Alon Dayan - de surpresa para votação. Vale salientar que, além da alta multa cobrada no caso de cancelamento da venda, há ainda bônus de R$ 215 M aos fundadores no formato de cláusula de não-competição.

Os investidores da Linx já estão chamando o episódio de "mensalão corporativo". Outras informações dão conta de que os Conselheiros da Companhia tiveram somente 3 horas para analisar a proposta. 2 conselheiros independentes teriam pedido mais tempo para analisá-la, mas o CEO, Alberto Maniche, teria alegado que tal pedido implicaria na "perda de oportunidade de negócio".

A proposta da Stone ronda os R$ 6,04 B.













Ver mais mais lidas